Guia de implementação MANWINWIN

#8 Imputação de Mão-de-Obra, Materiais, Serviços em OTs e Registos de Abastecimento

#8 Imputação de Mão-de-Obra, Materiais, Serviços em OTs e Registos de Abastecimento

No sistema de gestão da manutenção, o custo é o elemento que quantifica financeiramente a utilização de um recurso. Os custos de manutenção mais comuns são o registo do esforço interno (sob a forma de custo hora/homem), facturas de materiais e facturas de serviços.

O custeio da manutenção, se for correctamente implementado, proporcionará ao gestor da manutenção uma percepção de grande detalhe, permitindo-lhe conhecer os custos ao nível do equipamento individual e percebê-los segundo várias vertentes como tipo de actividade, departamento, fornecedor, etc..

Para efeitos de análise e reporte para a gestão geral da organização, tendo em conta que para esta última não interessará perder-se na análise de detalhes por vezes imperceptíveis, o custeio deve ser coordenado numa estrutura bidimensional de centros de custo e rubricas – o centro de custo exprimindo “onde” e a rubrica “em quê”. Tal estruturação proporcionará um sistema consistente de reporte dos custos e permitirá construir orçamentos e promover o controlo orçamental ou controlo de gestão.

Estados de imputação de um Documento de Custo:

Sempre que o valor de um documento de custo seja fixo, poderá assumir os seguintes estados:

  • Imputado – A soma dos valores dos itens de custo esgotam totalmente o valor sem IVA do documento de custo;
  • Parcialmente Imputado – A soma dos valores dos itens de custo não esgotam totalmente o valor sem IVA do documento de custo;
  • Nada Imputado – Nenhum item de custo foi imputado ao documento de custo;
  • Sobre-imputado – A soma dos valores dos itens de custo excedem o valor sem IVA do documento de custo.

No caso do valor do documento de custo ser variável, o documento permanecerá sempre no estado I – Imputado.

No programa, só têm vida própria os itens de custo. Os documentos de custo servem só para coordenar esses itens em documentos perceptíveis para a gestão da Organização.

DICAS & BOAS PRÁTICAS

Um reporte correcto é um factor essencial para a qualidade da gestão da manutenção: disciplina as pessoas, identifica pistas e credibiliza a gestão.

Para apontamentos de custo sem factura, pode-se criar um documento tipo “saco” onde se registam todos esses apontamentos. Ex.: “Registo de ponto de determinado funcionário”.

Os custos podem ser visualizados e geridos no modo “Documentos de custo” ou “Rubricas”. Este segundo modo permite filtros e análises detalhadas por rubricas de custo.

Pin It on Pinterest