O presente artigo tem como principal objectivo fazer uma comparação funcional entre a gestão de manutenção via utilização do Microsoft Excel® e a utilização de um CMMS (Computerized Maintenance Management System).

Durante anos foi prática comum em muitas empresas a gestão das suas manutenções via papel-caneta, Microsoft Access®, Microsoft Excel®, ou outro.

Imagina nos dias de hoje gerir as suas ordens de trabalho planeadas via papel-caneta? Como seria a sua gestão e controlo? Existirá um documento de suporte onde indique que foi entregue ao técnico “A” a ordem de trabalho “Z” no dia “Y”? O que faz o técnico com a folha? Preenche os seus dados de data de inicio e fim do trabalho, escreve as peças gastas e em que quantidades? O papel é devolvido ao responsável de manutenção que arquiva o mesmo em dossier? Que tipo de tratamento tem esta informação? O processo é o mesmo para trabalhos de origem não planeada? Se se pretender obter o histórico de avarias de um equipamento terão que ser percorridas todas as folhas arquivadas, e retiradas as que interessam? Serão posteriormente registadas em algum suporte informático mediante o indicador ou análise pretendida?

E a gestão do armazém? Existe um suporte em papel onde se registam os vários consumos e compras de material? Quando se sabe “o que” e “quando” encomendar? Qual o melhor fornecedor para cada peça? Consegue-se prever o consumo de material ao longo do ano e definir uma política de aprovisionamento por forma a evitar rupturas de stock?

LEIA O ARTIGO COMPLETO AQUI

 

Pin It on Pinterest

Share This